A História da Geologia - Sobre Geologia

04/06/2018

A História da Geologia


O planeta Terra e as paisagens naturais intrigam a humanidade desde a antiguidade com questões sobre seu surgimento e origem. Buscar explicações para o aparecimento de cadeias de montanhas, nascimento de rios, tremores, origem e aplicação das rochas e minerais são atividades já praticadas por nossos antepassados No artigo de hoje, conheceremos mais sobre como surgiu e se desenvolveu essa investigação, ou seja, a história da geologia!

Na pré-história a superfície terrestre já era explorada, principalmente por atividades extrativistas como a mineração, necessária para a confecção de instrumentos de caça. Filósofos gregos conhecidos atualmente como pré-socráticos, como Parmênides, Tales de Mileto, por exemplo, já observavam e pesquisavam a natureza (physis).
A geologia é uma ciência relativamente jovem pois antes estava agregada as chamadas “Ciências Naturais”. O ano atribuído para o surgimento da geologia como ciência independente está compreendido entre 1775 e 1830. A palavra “geologia” seria usada pela primeira vez em 1778 por Jean-André Deluc, e seria introduzida definitivamente por Horace-Bénédict de Saussurre, em 1779.
Foi longo o processo para a obtenção da geologia da maneira em que conhecemos atualmente como resultado, grandes nomes marcaram a história dessa ciência e estes estão divididos no período anterior e posterior a revolução científica.

Fonte:http://revistapesquisa.fapesp.br/2012/04/10/pontas-de-um-passado-remoto/


Antiguidade
Shen Kuo (1031-1095)

 Fonte: https://www.laphamsquarterly.org/contributors/kuo

A partir da observação de conchas fósseis em uma montanha localizada muito distante do mar, elaborou a hipótese para explicar a formação de novas terras, defendeu que a terra se formava da erosão das montanhas seguida pela deposição da matéria.

Georgius Agricola (1494-1555)

Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/6/63/Georgius_Agricola.jpg/200px-Georgius_Agricola.jpg

Considerado o pai da mineralogia, descreveu e registrou as operações mineiras e metalúrgicas em seu livro “De Re Metallica”. Sua obra “De Natura Fossilium”, o primeiro manual de mineralogia feito pelo homem, lhe conferiu o título de pai da Mineralogia.

Nicolaus Steno (1638-1686)

Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/c/cb/Niels_stensen.png/198px-Niels_stensen.png

Considerado o pai da estratigrafia, Nicoulaus Steno elaborou os 5 princípios básicos da estratigrafia: Princípio da Horizontalidade Original; Princípio da Continuidade Lateral; Princípio da Sobreposição de Estratos; Princípio das Relações de Corte ou Princípio da Intersecção; Princípio das Inclusões.


Geologia Moderna
James Hutton (1726-1797)
Fonte: https://moderngeology.com/images/hutton.png

Visto como o pai da geologia moderna, em 1795 publica um livro em dois volumes contendo a intitulada “Teoria da Terra”. A teoria propôs que a Terra seria mais velha que o suposto anteriormente. Propôs também a teoria do plutonismo, que afirma que todas as rochas da superfície terrestre teriam sido criadas por atividade vulcânica, a teoria surgiu em reação ao Netunismo de Abraham Werner. Autor também o Uniformitarismo.

Abraham Werner (1749-1817)

Fonte: https://images.gr-assets.com/authors/1398534582p5/4061208.jpg

Fundador da Mineralogia moderna, sendo o primeiro a classificar sistematicamente os minerais. Estabeleceu ao fim do século XVIII a escola Netunista que defendia a teoria conhecida como Netunismo ou Wernerismo, que afirmava que as rochas eram formadas pela deposição dos minerais existentes em um oceano primordial.

William Smith (1779-1839)


Fonte: https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/6/6f/William_Smith_%28geologist%29.jpg/1200px-William_Smith_%28geologist%29.jpg

Em 1815 confeccionou o primeiro mapa geológico (Mapa Geral dos Estratos da Inglaterra e País de Gales). E foi o primeiro a estabelecer um princípio de datação relativa das rochas a partir dos fósseis.



Fonte:IB-USP

Charles Lyell (1797-1875)

Um dos fundadores da estratigrafia, sua obra influenciou muito a geologia moderna. Definiu a teoria do Uniformitarismo, anteriormente proposta por Hutton, conhecida pela frase “o presente é a chave do passado” que pressupõe uma uniformidade temporal dos processos geológicos, os processos que ocorrem hoje também ocorriam no passado; e a formação de estruturas é resultado de processos gradativos e lentos.

Fonte: https://jamescungureanu.files.wordpress.com/2015/01/charles-lyell.jpg

Alfred Wegener (1880-1930)

Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Alfred_Wegener

Propôs a teoria da Deriva Continental, um marco revolucionário para a história da geologia. A teoria afirmava que todos os continentes já estiveram unidos um dia, como um quebra-cabeça.
Fonte: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/upload/conteudo/deriva-continental.jpg

Geologia no Brasil

No Brasil Colonial o extrativismo predominava, a cana-de-açúcar deu lugar a mineração como principal atividade econômica a partir do século XVIII. A extração de metais preciosos se intensificou no período de 1700 a 1895, tendo como maiores produtores Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e São Paulo, respectivamente. Expedições em busca de ouro se iniciaram no século XVIII e se desenvolverem em três séculos. Em 1651 chegam ao Brasil mineiros treinados em Portugal para a “Jornada do Ouro” do Rio Pacajá.
A extração era feita a céu aberto em depósitos do tipo placer (um depósito de minério superficial, concentrado mecanicamente dentro de cascalhos, originado de correntes fluviais, marinhas ou eólicas), com trabalho braçal realizado por escravizados.
Os melhores depósitos entraram em exaustão e esse foi um dos principais motivos da decadência, que iniciou ainda no século XVIII e continuou no séc.XIX. A decadência das minas se deu por conta da perda do valor econômico do ouro e do diamante no mercado internacional, além do uso de técnicas primitivas e ignorância dos donos das minas. No período colonial do Brasil as máquinas usadas na mineração já eram consideradas antiquadas quando comparadas ao equipamento utilizado na Europa.
No último quarto do século XVIII diversas obras, entre livros e artigos, foram escritas com intuito de melhorar o desempenho técnico da mineração no Brasil e combater a decadência atual das minas. A produção dessas obras foi uma ação conjunta de profissionais das áreas da mineralogia, metalurgia, química e geologia da Univerdade de Coimbra e da Academia de Ciências de Lisboa.
Chegada da geologia moderna (1790-1810) se deve ao período em que houve o desenvolvimento em atividades dos cientistas das áreas já citadas, e este momento chegou com o Iluminismo. Na segunda metade do século XIX surgiram muitos interessados pela geologia e os recursos naturais do Brasil, destacando-se Harry Rosenbusch (fundador da mineralogia alemã), que viveu alguns anos na Bahia, e o paleontólogo-biólogo Hermam von lhering, que viveu cerca de 20 anos no Brasil.
Até a década de 50 (século XX) a maioria das publicações brasileiras eram escritas em inglês, francês ou alemão. Este quadro se modificou com a ocorrência de congressos nacionais e outros eventos, focando principalmente na geologia econômica. É reconhecido que o Departamento Nacional de Produção Mineral- DNPM, foi o grande propulsou do desenvolvimento do conhecimento geológico no Brasil, quando em 1949 contratou geólogos estrangeiros, estes se tornaram responsáveis por grandes contribuições à geologia brasileira.
O Brasil manteve uma comunidade geocientífica em quantidade razoável, essa se tornou responsável por grandes avanços em pesquisas no campo brasileiro, com esses avanços em 1960 os primeiros geólogos brasileiros, a nível de graduação, eram formados.


Referências:
LINS, Fernando Antônio de Freitas. Brasil 500 anos- a construção do Brasil e da América Latina: histórico, atualidades e perspectivas. Rio de Janeiro: CETEM/MCT,2000.
https://pt.wikipedia.org/wiki/Hist%C3%B3ria_da_geologia
https://pt.wikipedia.org/wiki/Geologia
http://redeglobo.globo.com/globociencia/noticia/2011/12/hutton-e-lyell-conheca-vida-e-obra-dos-precursores-da-geologia.html
http://www.fgel.uerj.br/dgrg/webdgrg/Timescale/g_lyel.html
https://super.abril.com.br/ciencia/conheca-o-cientista-alemao-alfred-wegener-pai-da-deriva-continental/
http://www.ccvestremoz.uevora.pt/upload/pdf/conversas5_principiosGeologia.pdf
http://www.museunacional.ufrj.br/dgp/O_que_e_geologia.pdf
http://www.geologiadobrasil.com.br/george_agricola.html
http://www.monografias.ufop.br/bitstream/35400000/447/1/MONOGRAFIA_PapelGeologiaDesenvolvimento.pdf
http://www.geologo.com.br/o%20conhecimento%20geol%C3%B3gico%20no%20brasil.htm

Artigo escrito por Letícia Brito e revisado por Ana Julia

Nenhum comentário:

Por favor, duvidas, sugestões e comentários construtivos serão sempre bem vindos :)